h1

Porto Príncipe em romance

12 de janeiro de 2010

“A maior dor da vida em Porto Príncipe, depois do espetáculo do desnudamento e da miséria, era o barulho. Estouros de motores, escapamentos de veículos em péssimo estado, sons de buzinas intempestivas, chamados de vendedores, músicas tocadas a todo volume em transportes públicos ou em plena rua, sopros asmáticos de geradores, sermões de pastores ambulantes, orações de seitas religiosas querendo a todo preço compartilhar seu delírio com a população do entorno, latidos de cães errantes, cantos imtempestivos de galos aos quais a loucura dos homens fez perder a noção da hora, disputas ferozes de vizinhos perpetuamente em litígio, crianças memorizando lições e fórmulas químicas impermeáveis à sua inteligência, televisões ajustadas no volume máximo em razão da difusão de um jogo do campeonato italiano de futebol da primeira divisão, rádio tocando à fundo o último sucesso de compas ou rap.”

(Trecho extraído do livro Saison de porcs de Gary Victor, em que o autor retrata a cidade de Porto Príncipe e narra a história de um inspetor da polícia haitiana, suas reflexões sobre sua vida, seu trabalho e seu país.)

Anúncios

3 comentários

  1. Olá,

    Goatrai de fazer uma entrevista com vocês para a programação aqui da CBN. Vcs têm alguma forma de comunicação fonada? Rádio, Telefone, Skipe ou celular. MAnde um e-mail para mim com a resposta. abraço!

    Valter Sena
    Editor Chefe
    CBN Campinas
    sena@cbncampinas.com.br


  2. Recomendo a todos a leitura imperdível de “Os Comediantes” do grande Grahan Greene, publicado no Brasil pela Civilização Brasileira em 1966. Neste romance dá pra saber o quanto mal fez a família Duvalier e os seus Tontons Macoute contra a população sofrido país. O romance também foi adaptado para o cinema, em filme dirigido por Peter Glenville, com Richard Burton e Liz Taylor nos papéis principais e em plena forma. Uma bela adaptação.


  3. Recomendo a todos a leitura imperdível de “Os Comediantes” do grande Grahan Greene, publicado no Brasil pela Civilização Brasileira em 1966. Neste romance dá pra saber o quanto mal fez a família Duvalier e os seus Tontons Macoute contra a população deste sofrido país. O romance também foi adaptado para o cinema, em filme dirigido por Peter Glenville, com Richard Burton e Liz Taylor nos papéis principais e em plena forma. Uma bela adaptação.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: