h1

Rapa em Pétion-Ville

10 de janeiro de 2010

A fiscalização da prefeitura contra o comércio de rua não é exclusividade da 25 de março. Aqui no Haiti também existe. Nas proximidades da praça Saint-Pierre, em Pétion-Ville, alguns integrantes do nosso grupo comiam “chenn jambe”, quando nossa comida saiu correndo desordenadamente no meio de uma confusão generalizada. Logo atrás vinha uma pick-up da prefeitura da cidade, rodeada de fiscais, e um carro de oficiais da polícia atrás, armados com fuzis.

Não pensamos duas vezes pra correr atrás da confusão e ver o que se passava. A pik-up parou e uma dezena de fiscais começaram a se atracar com vendedores, recolhiam a mercadoria e subiam novamente na pick-up. Como tínhamos camêras na mão, a população dizia “filmez yo, filmez yo!” (filmem eles).

Depois da filmagem fomos interpelados pelo carro de oficiais da polícia, que em inglês faziam perguntas de quem éramos e o que fazíamos ali. As fitas não foram confiscadas, e estão disponíveis em http://www.youtube.com/watch?v=9mpoxs_gn2c

A grande questão desse evento é que praticamente só existe comércio de rua no Haiti, não existem lojas, e os trabalhos formais são raros. Então a venda informal de mercadorias na rua faz parte da sobrevivência de uma grande parte do povo haitiano. Não temos estatísticas oficiais, mas intelectuais afirmam que a esmagadora maioria do povo vive do trabalho informal, em grande parte de vendas nas ruas.

Sendo assim, a ação repressiva da prefeitura de Pétion-Ville não é contra alguns trabalhadores, mas sim contra a maioria dos trabalhadores, em favorecimento de alguns pequenos comércios formais no centro dessa cidade. Ou seja, a polícia não vai acabar com o comércio informal confiscando mercadorias. Nesse sentido, a escolha do que apreender, e o que fazer com isso, é critério subjetivo e dos interesses de alguns policiais da Polícia Nacional do Haiti.

Daniel F. Q. Santos

Anúncios

One comment

  1. Tem sido fantástico “acompanhá-los” nessa viagem. A cada texto lido, uma nova espera do próximo (assim como uma novela, talvez. No entanto, acredito que apesar de ser baseado em relatos pessoais, possui bastantes critérios). É interessante os apontamentos sobre o reflexo histórico que vocês colocam, não o deixem de fazê-lo; torna motivante a nossa pesquisa para tentar “entender” um migalha do que vocês conseguem vivenciar por ae. Grande Beijo.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: